Secretaria da Mulher realiza atos contra o feminicídio em Campina Grande do Sul
22/07/2019 mulher

Na última segunda-feira (22/7), a Prefeitura de Campina Grande do Sul, através da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, realizou atos em apoio ao Dia Estadual de Combate ao Feminicídio.

 

As ações iniciaram pela manhã em frente ao Terminal do Jardim Paulista com divulgação dos serviços de atendimento pelo município às mulheres em situação de violência e  o ato “Nenhuma a menos – o retrato do feminicídio no Paraná”, onde foram expostas a população 82 cruzes com velas e fitas pretas representando as 82 vítimas de feminicídio no Estado do Paraná no último ano (no período de maio de 2018 a maio de 2019). A mobilização continuou pela tarde no Jardim Paulista e contou também com panfletagem na Sede.

 

O Dia Estadual de Combate ao Feminicídio foi instituído pela lei 19.873/2019. A ação é uma lembrança ao dia da morte da advogada guarapuavana, Tatiane Spitzner, assassinada pelo marido e que repercutiu no Brasil e no mundo em 2018, provocando intensos debates sobre feminicídio e a luta pela vida das mulheres.

 

Em Campina Grande do Sul, a Prefeitura conta com uma secretaria voltada especialmente para garantir os direitos das mulheres. Entre outras conquistas, está o Cartório da Mulher que está localizado na delegacia de Polícia Civil do município e atende exclusivamente os crimes cometidos contra a mulher. A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres está localizada na Rua Coronel Monteiro, 335, 2ª andar, no Centro.

 

Violência contra as mulheres: Quebre este ciclo!

 

Responda mentalmente este questionário:

 

1. Você tem medo de ficar sozinha com seu companheiro ou ex-companheiro?

2. Ele te persegue, demonstra ciúme excessivo ou tenta te controlar?

3. Ele já obrigou você a ter relações sexuais contra a sua vontade?

4. Ele a impede de trabalhar, estudar ou sair de casa?

5. Ele parece mais violento nos últimos tempos?

6. Ele a impede de ter amigos ou contato com familiares?

7. Ele já te ameaçou de morte, a feriu com uma arma ou algum outro objeto?

8. Durante as brigas, ele parece estar sem controle?

9. Ele destrói suas coisas, roupas ou objetos de trabalho?

10. Caso você possua animal doméstico: ele já agrediu ou maltratou o animal?

11. Ele faz questão de te contar que tem uma arma ou a exibe pra você?

 

Se você respondeu que "sim" a alguma destas perguntas, você pode estar num relacionamento abusivo. Procure ajuda:

 

Central de Atendimento à Mulher: ligue 180

Guarda Civil Municipal: 153

Polícia Militar: 190

Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres: 3676-8199

Casa da Mulher Brasileira: 3352-5761