Prefeitura de Campina Grande do Sul estende programa de coleta seletiva
09/08/2019 Infraestrutura

Na manhã de quinta-feira (08/08), a Prefeitura Municipal de Campina Grande do Sul anunciou a extensão do programa de coleta seletiva do Município. Agora toda a área urbana campinense receberá os sacos verdes da Prefeitura para separação do lixo reciclável de suas residências.

 

O lançamento da extensão do programa ocorreu na Apae de Campina Grande do Sul. O prefeito municipal Bihl Zanetti esteve presente e conheceu o projeto “Recicla Apae”, onde alunos e professores fazem a reciclagem do papel.

 

Bihl anunciou no evento que no próximo dia 12/08 (segunda-feira), novos bairros serão atendidos com a distribuição dos sacos verdes para a coleta seletiva: Recanto Verde, Cohapar, Jardim Santa Rosa, Jardim Santa Rita, Jardim Santa Angelina, Jardim João Paulo II, Jardim Araçatuba, Jardim Diamante, Jardim Daher e Chácaras Olhos D’Água. Serão quatro sacos entregues por residência na segunda semana de cada mês.

 

O prefeito Bihl Zanetti disse que a entrega dos sacos verdes é um incentivo a coleta de lixo reciclável no município e ajudando a proteger o meio ambiente, porém o destaque principal do programa é o apoio do campinense, que aderiu a ideia e trouxe grandes resultados no que se refere a coleta seletiva.

 

Os números da reciclagem em Campina Grande do Sul

 

Em 2018, foram coletados em Campina Grande do Sul mais de 7,6 toneladas de lixo, sendo uma média de 0,440 gramas por habitante por dia. O município tem uma média de recuperação alta comparada à média nacional: 12% do lixo produzido foram reciclados em Campina Grande do Sul, enquanto a média nacional é de 3%. Em 2019, nos últimos três meses já aumentou para 16% o material reciclado.

 

O programa de coleta seletiva mostra um grande resultado comparando a média de lixo enviado ao aterro. São em média 169 toneladas a menos por mês.

 

O trabalho da Prefeitura de Campina Grande do Sul e a apoio do campinense na coleta seletiva está beneficiando diretamente o meio ambiente e os cofres públicos. Cada tonelada de lixo enviada ao aterro sanitário custa R$ 75,60 ao Município. Em 2018 foram gastos R$ 531.694,80.

 

Confira um vídeo elaborado pela Prefeitura sobre o que é e o que não é reciclável clicando AQUI.