Dia D mobiliza população e Campina Grande do Sul segue na luta contra o sarampo e a febre amarela
Moradores reconhecem a importância da vacina e comparecem às UBS para receberem doses das vacinas
09/03/2020 Saúde

Foi grande o número de pessoas que compareceram às Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Campina Grande do Sul neste sábado (07), para receberem doses das vacinas contra o sarampo e a febre amarela. O Dia D da Campanha Nacional de Vacinação mobilizou o público-alvo definido pelo Ministério da Saúde: pessoas com idade entre cinco e 59 anos. 


Segundo Glaci Colaço, enfermeira chefe da UBS Conceição Maria de Andrade, no Jardim Paulista, sempre quando há campanha de vacinação a adesão da população é expressiva. “As pessoas entendem a importância e comparecem”, revela.


A dona de casa Aline, que é mãe de Kamilly, Laura e Laís, com 12, 6 e 4 anos de idade, respectivamente, explica que para ela, na condição de mãe, é compromisso “sagrado” manter a carteirinha de vacinação das filhas em dia. “Não dá para brincar. São muitas doenças contagiosas que existem e que podem ser evitadas. Então, é melhor prevenir que remediar”, declara a moradora do Bairro Eugênia Maria, que à exemplo das filhas, também recebeu a dose da vacina contra o sarampo, na UBS Adelque Bossardi, no Jardim Flórida.

Em todo o Paraná, a campanha contempla as pessoas de cinco até 59 anos. Para as faixas etárias de cinco até 19 anos e as de 30 até 59 anos a vacinação é seletiva. Esse grupo deve comparecer à Unidade Básica de Saúde levando o comprovante vacinal. Só vai receber a vacina a pessoa que não tem o registro vacinal ou está com o esquema vacinal incompleto. É o que orienta a Secretaria Estadual da Saúde (SESA). Já para o público de 20 a 29 anos, a vacinação é indiscriminada, ou seja, todas as pessoas nessa faixa etária devem procurar as unidades de saúde.


As doses das vacinas contra o sarampo e a febre amarela continuam à disposição da população durante toda a semana em todas as UBS do município. No entanto, é válido lembrar que não é possível a imunização contra as duas doenças de uma só vez, já que é necessário o intervalo de pelo menos 30 dias entre uma dose e outra.


DOENÇA - O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de cinco anos e podem causar meningite, encefalite, pneumonia, entre outras. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro. As micropartículas virais ficam suspensas no ar, por isso o alto poder de contágio da doença.


SINTOMAS - Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, coriza, conjuntivite, exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo), outros sintomas como cefaleia, indisposição e diarreia também podem ocorrer.


A dose zero deve ser aplicada em crianças entre seis e onze meses. A primeira dose deve ser aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral (que previne sarampo, caxumba e rubéola), e a segunda dose aos 15 meses de vida com a vacina tetra viral (que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora).


Mulheres que estão amamentando podem ser vacinadas. E aquelas que desejam engravidar, devem aguardar no mínimo 30 dias após receber a dose da vacina. Todos os profissionais da área da saúde devem ser vacinados com as duas doses da tríplice viral em qualquer faixa etária.


Não tem indicação para tomar a vacina pessoas com a imunidade baixa, mulheres grávidas e menores de seis meses de idade e pacientes que tomam medicações imunossupressoras.