Sanepar quer ajuda de Campina Grande do Sul para uso racional de água
Durante videoconferência, presidente da companhia disse que economizar água é questão emergencial
27/05/2020 Governo

A Sanepar promoveu nesta terça-feira (27) uma videoconferência entre membros de sua diretoria e prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba. O assunto: a maior estiagem dos últimos tempos e os efeitos provocados no sistema de abastecimento para vários municípios da Grande Curitiba, incluindo Campina Grande do Sul.

 

“Os municípios são os atores principais nesse processo. Sem vocês, não teremos condições de passar por este momento”, disse o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, para prefeitos de cidades da região que participaram de reunião por videoconferência.

 

Stabile deixou claro que a falta de água causada pela estiagem severa tem exigido da Sanepar ações emergenciais, como antecipação de obras e captações alternativas, mas são necessárias ações individuais para o uso econômico da água. “A Sanepar acionou seu protocolo de gestão de crise com a implementação de várias medidas. Porém, é fundamental a participação da população porque sem chuvas, não há água.”

 

O prefeito Bihl Zanetti lembra a importância da economia no uso de água. “Em Campina Grande do Sul algumas famílias já estão ficando sem água permanentemente. Nossos caminhões pipas tem ido até determinadas localidades para abastecer a população”, enfatiza Bihl.

 

A estiagem não dá trégua e segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) não há, pelo menos para os próximos dias, previsão para volumes significativos de chuvas que justifiquem um cenário de tranquilidade em relação a crise hídrica que afeta Campina Grande do Sul e região.

 

Hoje, os reservatórios que abastecem a região metropolitana, em média, com 43,44% das suas capacidades. Com isso, a solução momentânea, embora paliativa, é o rodízio na distribuição de água para os municípios. É o caso de Campina Grande do Sul, que pela segunda semana consecutiva, passa por racionamento no abastecimento.

 

Com início na terça-feira (26) às 16h e término nesta quinta (28), os seguintes bairros participam do rodízio: Jardim Nesita, Eugênia Maria, Vila Chacrinha, Vila Santa Cecília, Jardim Graciosa, Jardim Paulista, Jardim Senhora das Graças, Joana Olímpia, Moradias Timbu, Santa Rita, Jardim Oswaldo Florêncio e Vila Cosme.

 

USO RACIONAL - A recomendação da Sanepar é para que as pessoas não usem a água para lavar calçadas e carros, para que fechem a torneira durante a escovação dos dentes, para que tomem banhos mais rápidos, que controlem possíveis vazamentos em suas casas, entre outras.

 

CRISE HÍDRICA - O governo estadual publicou no dia 7 de maio o decreto 4626/20, instituindo Situação de Emergência Hídrica em todo o Paraná por 180 dias. O decreto prevê, entre outras normas, a realização de ações emergenciais destinadas ao abastecimento de água tratada à população e autoriza a adoção dos rodízios de abastecimento, o qual continuará até que os níveis das represas que abastecem os reservatórios da Sanepar retornem a níveis suficientes para a normalização da distribuição de água.